quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Esquecida

Andei até aqui
e cansei.
Não de andar,
mas de pessoas que se levam
por sentimentos maldosos
alimentado pelo ego.


Eu cansei.
Eu só sei ser direta
nada de romantismo
ou figuração.

E eu me decepciono comigo mesma
quando ao fim do dia
percebo que meu ego me levou
para o vale da descompaixão.

Eu rezo.
Mas sei que de nada adianta
ta feito, já foi.

Desculpa.






quarta-feira, 26 de abril de 2017

RPM de agora (não tem)

Ta louco.
Cadê a revolução por minuto?
Ficou com os cabeludos dos anos 80.
Agora o mundo engatilha
para trás.

Cadê os loucos
que conseguem enxergar
essa lentidão?
Agora eu entendo
quem fica maluco beleza.

E eu vou ficar.

Quem matou e quem deixou morrer
a vontade da arte de viver
até o cubismo deixou sua vida torta
e tem casa do subúrbio com filhos.

Não quero voltar no tempo
quero ser agora
o que eramos.
Alguns ainda são.
Me puxem para cima.
Não quero cair com o resto.

Ta louco!
Cadê a revolução por minuto?
Deu problema nas engrenagens.
Quem vai concertar?


segunda-feira, 13 de março de 2017

Presente monossilábico

A luz se foi,
aquela força, cadê?
Para falar a verdade,
nem procurei.

Decadência.
Humanidade
decaída.
Ali.
Em todo lugar.
Não da. Não deu.
Desculpa.
Mas de quem é a culpa?
Quero gritar com ela.
De quem é a culpa?

Lembrei.
Sua.
Minha.
Nossa.

Brigar não adianta.
Chegamos aqui por brigar.
Guerras. Mortes. Crianças.
E todos brigam por justiça.
Mas nenhum acordo.
E como seria possível?
Todos tem razão.
Diferentes razões.
Mas nenhum acordo.

Solução não sei.
Não tem.
Cansei.
Quando tudo terminar, me chamem,


sábado, 21 de janeiro de 2017

Até que ponto

Ter o privilégio do conhecimento.
Até que ponto isso é vantagem?
Se no fim a roda gira igual para todos,
e as vezes mais lenta para mim.

Como enfrentar o mundo
quando você entende toda malandragem.
Como assistir o jornal
quando você sabe que cada minuto é comprado.

Do que serve esse estresse da faculdade
se o Zé vai se dar melhor do que eu
vendendo cerveja
para os estressados da faculdade.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A vida é mais

A vida é mais do que suas poesias.
Paixão não pode ser descrita em rimar ruins,
ela tem que ser vivida.

Sentida em cada receptor, e neurônio cerebral,
vai por mim,
o mundo real também tem suas vantagens.

A vida é mais do que um mero poema.
Mas encare a realidade com a mesma leveza
de um verso.

Não se decepcione com a falta de amor e sincronia
do mundo concreto.
A arrume com pitadas da mesma visão de seus poemas.

Quando não ter jeito, quando se sufocar com a maldade,
fantasie a realidade com seus desvaneios em versos,

Não se perca se o mundo não faz sentido,
O SEU mundo tem que fazer sentido.

E na maioria das vezes,
o nosso mundo é o oposto do resto do mundo,
e tudo bem, alias, melhor assim.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Vida

Que loucura é se perder
deixar de ser
mudar-se para lá.

Quão assustador é
 a vida não seguir o roteiro
que escrevi.

A gente esquece do imprevisível
das metamorfoses e interferências.

Já não escuto as mesmas músicas
não escrevo os mesmos versos
nem faço as mesmas perguntas.

Nem escrevo mais roteiros.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

A comunicação que não temos

   Ontem eu lembrei porque eu quis estudar comunicação. Entre toda a crise identitária contemporânea é um verdadeiro alivio. Estava eu no parque municipal cobrindo o aniversário da cidade para fazer uma matéria valendo ponto. Obrigada. Na hora preferia estar em casa vendo Grey's Anatomy, ou dormindo, qualquer coisa. Mas ok, a vida não é um conto de fadas, fui, e acabei me surpreendendo. Engraçado como não esperamos muita coisa de algo que somos obrigados a fazer.
     
     Meu namorado foi também para fazer a cobertura aérea usando um drone. Sempre chove de crianças curiosas, dessa vez não seria diferente. A primeira a ver o "avião" no céu e associar com o controle na mão de um cabeludo estava muito maravilhado com o negocio voando. Mas MUITO mesmo. Ele ria sozinho, arregalava o olho, muito surpreso e feliz. Não demorou para ele subir no banco que tinha ao lado para ver as imagens do controle, a expressão de fascínio  no rosto do garoto só aumentava. É até difícil descrever. Eu não tinha percebido uma coisa até aquele garoto tentar falar, ele era surdo e mudo. Mas mesmo assim não deixava de se expressar, mesmo assim eu não deixava de perceber como ele estava alegre com aquela coisa. Ele gesticulava com a mão, tentava falar mas só saia barulhos. Meu namorado conseguiu perceber que ele pediu para controlar o drone, e respondeu "não, não". Fiz cara de paisagem né. Enfim. O menino viu uma mulher que o conhecia, e tudo que ele queria era mostrar o drone voando para ela, compartilhar a felicidade. Ele apontava para o céu, para o o controle e tentava falar, saia barulhos altos, até que enfim a mulher viu. E depois, o que aconteceu? Ela pediu desculpas porque ele era especial. DESCULPAS. Tipo, "o menino é espontâneo e curioso, mas nasceu mudo e surdo, desculpa pela única forma que ele consegue se comunicar". Que mundo é esse que temos que nos desculpar por nossos defeitos? Eu entendo o pedido de desculpa da mulher, existem muitos intolerantes no mundo, o que não entendo é justamente os intolerantes. Parece que cada dia que saio da caverna me decepciono mais com sociedade. 

     Mas enfim, depois dessa saída de foco, justificada, volto. Por que eu me lembrei o motivo de estudar comunicação? Porque a comunicação é uma coisa muito louca. O menino surdo e mudo não deixava de se comunicar, de brincar com as outras crianças (ele não precisava pedir desculpa para elas), de explorar o mundo. A comunicação é o eixo central da vida. As brigas começam com a má interpretação, e a internet e as redes sociais chegou para provar isso, creio que nem preciso de dar exemplo. Quando comecei a curso de jornalismo tinha a ideia romântica de fazer revolução como jornalista, hoje já sei que isso é difícil. Sei que a minha tarefa será trabalhar e levar informação para as pessoas em uma época louca. Uma época em que as pessoas nascem sabendo se comunicar, mas como Rousseau concordaria, a vida em sociedade o faz perder essa característica. Se os adultos soubessem, e não tivessem medo de comunicarem tão verdadeiramente como esse menino que conheci no parque o mundo estaria melhor.  

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Porque as pessoas vão aos psicólogos (e porque os psicólogos também precisam de psicólogos)

        Eu queria desabafar com alguém, queria dizer que meu coração esta pesado, dizer que apareceu uma mancha esquisita em um local impróprio no meu corpo. Quase fiz isso ontem, mas a pessoa com quem quase falei parecia tão ocupada com os próprios problemas. Será que ela precisava desabafar também? Será que é culpa da era digital e redes sociais? Ou as pessoas sempre foram individuais assim? Isso é ser adulto? Que loucura. Como não ficar louca em um mundo desses? Um mundo onde pessoas não conversam entre si, o que talvez seria o assassinato de algumas aflições. Eu sou carente e melequenta por que preciso de contato de alguns humanos para ficar feliz? Sou a trouxa por que ainda não sei a receita de "ser feliz sozinha"? Será que as pessoas realmente são felizes sozinhas? Por que eu não consigo me expor com convicção oralmente? Por que eu sempre penso nos prós e contras e acabo sem respostas?

Acho que estou autorizada a ser clichê: "calma, respira, e não pira".
Calma menina.
Podia ser um poema,
e é um poema.
que loucura
não saber o que sente
e até achar que não sente
por que não entende
o que realmente sente.

*me desculpa pelas péssimas rimas* *mas eu estava autorizada a ser clichê*

        Plagiando Coldplay: ninguém me disse que seria hard assim. Alias, poderia ser de outra forma? Estamos vivemos o 1984 de Geoge Orwell, ou é apenas a mais pura realidade pós moderna "matrixterizada" (sim, eu inventei essa palavra, por isso está entre parenteses e só depois percebi a ironia quando reli). Só eu estou cansada e com medo do futuro de amanhã? Estão percebendo que a estrutura desse texto é construído basicamente de indagações? Percebem o significado oculto disso?  

terça-feira, 26 de julho de 2016

Daqueles dias

Hoje é um daqueles dias
ontem também foi
se nada mudar
amanhã também será.

Eu sempre tenho esses dias
mas minha forma de lidar com eles mudou
não grito de dor
ninguém tem culpa ou tempo.

Esses dias estão sendo tão daqueles dias
que acredito que nem a poesia queira ajudar
mas, o que custa insistir um pouco?
Talvez ela se sensibilize.


terça-feira, 10 de maio de 2016

Essa sou eu,
menina de 15 anos com muitos sonhos
das humanas desde de pequena
querendo mudar o mundo
sonhando.

Essa sou eu
e essa eu infelizmente cresceu
entrou na faculdade achando que era um degrau
para essa tal mudança
que encontraria amigos com as mesmas esperanças

Essa sou eu
e infelizmente não encontrei essas pessoas
somente ego e opiniões sem fundamentos.
A vida bateu e eu não tive como não atender
tive que aceitar sem reclamação.

Essa sou eu, e ainda luto,
luto para não cair no esquecimento
o que me trouxe até aqui,
Luto para não esquecer que o mundo é colorido,
foi o homem que o deixou preto e branco.


segunda-feira, 4 de abril de 2016

Somos um amontoados de memorias
o que mais importa para a vida
é um amontoado de abstrato
do que vale o agora se não temos nosso auto-retrato?

Sorrir é bom
mas se pegar rindo sozinho pelo motivo é melhor.

O que nós somos sem o agora?
O que nos pertence além das memorias?
Quem somos quando nossas lembranças se fragmentam?
Quem somos nos primeiros dois segundos de vida?





quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Excesso

Eu me perdi no meio de tanto argumento
não aprendi a surfar nas ciber ondas
fico na beira observando a poluição
que ao excesso de informação trouxe.

Eu ainda não decidi se sou contra ou a favor
to atrasada analisando os fatos e os fardos.
Eu ainda não decidi se sou isso ou aquilo
e no fundo acho que não quero ser nenhum dos dois.

O que te interessa minha posição?
Não sou revista para ter editorial,
Me deixa ter uma opinião hoje e mudar amanhã,
até porque tudo muda e a relatividade também.

 

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Ser poeta.

Ser poeta é 8 ou 80,
inspiração ou vida real
ali ou aqui,
amor ou ódio.

Ser é poeta é ser imprevisível
e ver beleza na solidão
numa noite de sexta
derramada em saudade e cerveja.

Se poeta é ter tesão ou não,
é ficar bêbado e se equilibrar nas palavras,
é nascer e morrer todos os dias,
é tudo fazer sentido de vez em quando.



terça-feira, 13 de outubro de 2015

Como reconhecer

Você reconhece o poeta nas viagens de suas palavras
da hiper-possibilidades de ser feliz
ao achar o triste bonito,
e ser feliz de verdade quando está na companhia da solidão.

Você reconhece o artista em seus dramas,
o que é do artista sem drama?
Como viver ao máximo sem ser no último minuto?
E ao mesmo tempo ele tem a vida toda para fazer mais um filme de sua vida,
onde a problemática toma os 120 minutos.

Você conhece uma pessoa normal na sua razão.
Guerra é paz, liberdade é escravidão e ignorância é força.
Percebe a poesia mas não sente,
não tem crises, pois não vive em outro mundo.



domingo, 20 de setembro de 2015

Aguarde

Bom dia, boa tarde, boa noite.
Todos os bons te dou,
um tanto de egoismo está por trás disso,
só quero coisas boas comigo.

Hoje acordei e me senti,
o único por que é ser feliz
não é pecado deixar para mais tarde
os problemas que ainda nem existem,
e talvez nem existirão.
Aguarde.

Para que a pressa e desespero?
O momento é agora, depois a gente vê.
Como diria Camelo, deixa o verão pra mais tarde.
Deite no travesseiro, ou no mato verde,
e encontre seu equilíbrio que perdeu,
quando se desencontrou com seu eu.


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Cansei

Cansada de uns e outros
querendo ser amiga de todos
mas descarta usar máscaras,
tudo fica artificial demais.

Sorrir por educação não é legal
formalidades só se verdadeiras
joguinhos só se for de quem come mais,
realizações só se for para realizar você mesmo.

Cansada de ter que ser simpática
querendo se destacar
mas descarta a puxação de saco,
gasta a mente desnecessariamente.

A sociedade não ta legal,
gente deixando de sorrir
porque não sabe se é normal
não ter tanta ganância para cumprir.

terça-feira, 9 de junho de 2015

Só viver

Viver e aceitar a vida
sem muitos questionamentos
sentir o vento e a luz do sol na retina
aceitar a poesia.

Conviver bem com a felicidade
sem tantos por que's.
Esquecer a busca de si
no final você se encontra.

Buscar a prática de fazer o bem
para não ter tanto com o que se indignar.
Estar em paz por dentro,
para estar em paz com o mundo.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Todos nascem com um "Q" jornalístico.

   Todos nascem jornalistas. Todo cidadão nasce com o instinto animal de "cão de guarda da sociedade". Quando criança somos chatos, impertinentes com perguntas, queremos ter certeza de tudo, e as fontes mais confiáveis são nossos pais, que fazem malabarismo para encontrarem uma resposta que nos conformemos. Na infância as vezes falamos algo constrangedor, e logo nos censuram, ai é onde pode começar a desconstrução do jornalista que há dentro de cada um.
   A busca da verdade convêm à cada um de nós. Em certos casos é nosso dever e direito ter informações transparentes, por exemplo, saber como nossos governantes estão trabalhando com o nosso dinheiro. Então, por que nem todos buscam saber a verdade e apura-la? E os que tentam, por que nem sempre conseguem?
   Como mencionei, todos nascem jornalistas, mas nem todos permanecem jornalistas. Fazendo analogia ao Rousseau, a vida em sociedade corrompe o faro jornalístico que vem embutido ao nascimento de cada um. A curiosidade pelas explicações dos acontecimentos que nos rodeiam, todos possuem, mas se perde ou é silenciada (para mim é quase a mesma coisa) ao descobrir o jogo de poder político, e muitos outros jogos, que regem a realidade. Outro fator destrutivo de um futuro jornalista são os preconceitos que o individuo pode começar possuir a partir do convívio social, e um profissional com pré-conceitos estabelecidos, não tem como ser um bom profissional. 
   Ser chato e inconveniente são algumas das características de uma criança, e como disse, de jornalistas. Mas agir dessa forma não é bem visto pela sociedade. A criança, com medo, perde essas peculiaridades. Na verdade não todas, algumas continuam sem vergonha (no bom sentido, ou não), continuam fazendo perguntas "inadequadas" para o momento, crescem, e continuam ignorando as regras de bom comportamento estabelecidas, aprendem a jogar os jogos políticos, e se tornam jornalistas. Se não fossem eles, quem levaria a verdade para os jornalistas que não vingaram?

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Ida à terra

Eu quero crescer e ser mais,
mas eu não estava sabendo somar,
muito menos multiplicar.

Só sabia diminuir,
e sendo egoísta,
nem tentando dividir.

Até me esqueci de rimar,
as vezes tentava,
mas não arrumava a casa para recebe-la.

Estava com saudades da rima e de mim,
então me preparei e ela veio.
Meio tímida e desconfiada, mas veio.

Logo ela se soltou e eu também,
me perguntou porque me distanciei.
Tinha esquecido como o real precisa do abstrato,
                                                        [e o abstrato de mim, para se tornar real.]