quarta-feira, 16 de março de 2011

A menina com coragem de morrer

Olha a menina de branco,
ela vem andando sem medo
do bando, que está logo ali.
Boba, eles vão a perseguir.

Todos seus medos são diferentes,
sua vontades são contraditórias,
por isso o bando não lhe quer ali.
Ela é ameaça para essa raça sem graça.

Sua mãe ao seu lado a chorar,
a garota já perdeu o ar de sua vida.
O pai tenta esconder as lágrimas
que vão cair quem sabe outro dia,

Todos estão a comentar,
da menina que não quis mudar,
e assim perdeu a vida para provar,
que nem todos vão aceitar
que todos não precisam pensar igual,
que repetir as ideias é tão banal.

Ela sempre queria algo novo pra se ver,
queria uma historia velha num contexto atual,
O bando que a espancou nunca mais se viu,
mas finais trágicos como o dela
vi na TV noite passada.

8 comentários:

dinho-music disse...

Adooorei esse texto. suspense e bem intenso.

Thyagoo disse...

Muito legall o seu texto

Rubi disse...

Uma poesia muito bem escrita, logo se vê que tem facilidade para escrever.

Parabéns!

Cabiludo® disse...

lindo texto... parabens...

cabiludo.blogspot.com

Neila Grenzel disse...

As vezes do nada saiu escrevendo, mas as vezes não sai nem uma palavra, uma letra de mim. Obrigada aos elogios :)

AnaCamila disse...

lindo poema.
doce cantinho esse seu.
Beijos, te sigo =*

Poetisa (Helena) disse...

É uma crítica ferrenha. Eu vi, eu vi a menina: tão real de branco, tão sem medo, e o tempo todo tentando proteger a cabeça. Eu vi, eu vi a menina...

Estarei seguindo. Se puder, visite:

http://escrevoparaviver.blogspot.com

Fabi disse...

morrer... ter coragem de morrer, no escuridão da noite, em um dia de revolta e de chuva.