segunda-feira, 14 de março de 2011

Reticências

Existe um adjetivo em mim que não sei se é bom ou ruim, mas acho que sem ele perderia minha identidade, eu me perderia. Não consigo botar ponto em final em nada, em nenhuma história da minha vida. A porta sempre está aberta, as vezes entre aberta, mas nunca trancada. Mas chega uma hora que essa porta está aberta apenas pela vontade de ver um ato inesperado acontecer, mas não fico deitado na cama esperando acontecer, vivo minha vida. Mas como já disse, tenho coração mole e cabeça longe, nunca vou dizer não para a vida, apenas quando é ela me dizendo que preciso limpar a minha casa, a preguiça vai dizer não por mim. A verdade é que sou uma sonhadora alpinista, não tenho medo dos tombos que posso levar, são eles que dão vida a vida. Um dos motivos de não colocar pontos finais em minhas historias é que tenho quase certeza que amanhã vou acordar, e depois acordarei mais um dia e minha historia pode acordar junto comigo, renascer junto comigo novamente. A vida é algo totalmente inesperado, não descarto nada pois não sei como vou estar amanhã, o que pode acontecer daqui um mês, quais serão minhas vontades e jeito de pensar daqui um ano. Não me atrevo botar ponto finais, somente reticências.

3 comentários:

Karla Hack dos Santos disse...

O importante é agarra-se aquilo que nos faz continuar!
Belo post!

;D

Alex Monteiro disse...

O pior que realmente não sabemos se esse adjetivo é para o mal ou para o beem!
Karamba!
Desejo sorte!
kkk'
:D
http://farofanordestina.blogspot.com/
Vota na enquete do meu blog pfv
:D

Calafrios disse...

É isso aí. Sem descartar nada da vida, pois como vc disse, não sabemos o amanha.
Até mais
http://calafriosterror.blogspot.com/