sexta-feira, 29 de abril de 2011

Meu espelho é o papel

Essas palavras sou eu,
essa eu são as palavras.

Se sou palavras
sou elas na forma escrita
dificilmente sou elas faladas,
elas inventam de mais.
De vez em quando
posso ser a cantada
elas me animam quando preciso.

Sou a escrita: quieta, lê quem quer!

Sou um poema, quem lê interpreta,
sente...
Mas só quem escreveu sabe a forma certa
de entender.

4 comentários:

Leonardo Ribeiro disse...

A subjetividade das palavras é algo que não consigo entender.

Fabi disse...

somos palavras, somos letras simples ... somos caligrafia.
belo poema minha linda.
ótimo fim de semana.

Vitin Melo disse...

ótimo modo de pensar. Qnd não gostamos do espelho, o papel é uma bela forma de nos descrevermos.
Comentei e segui.
Retribui ? http://sentimentares.blogspot.com/2011/05/medo-enfim-acabou.html#comments
Participa da comu pf; http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=113147794

Lolly disse...

amei o poema, super legal, gostei mesmo.
espero retribuição!
http://lollyoliver.wordpress.com/2011/05/04/meu-pai/