domingo, 5 de agosto de 2012

Anestésico.

Se você me despedaçar,
eu me despeço.
Se me quebrarem,
talvez não colarei os cacos.

Era viciada em solidão,
mas se me der uma brecha
terei uma recaída.
Que delicia a melancolia é.

Eu te aviso há tempos,
não tenho responsabilidade
para cuidar de mim.
Sou um pouco
          [quanto tanto, maluca]

Minha cabeça é um mistério,
com ideias cretinas,
sem escrúpulos,
ironicamente, sem medo.

Não há medo da escuridão,
não há medo do desconhecido,
não há medo de fazer de tudo
para fugir da dor
            [isso me da medo]

2 comentários: